REFLEXÕES NUMA TARDE DE CHUVAS




Este hábito que tenho de ir ao shopping quase que diariamente confunde as pessoas, a maioria pensa que vou fazer compras lá. Negativo, faço compras como todo mundo, uma vez por
mês, escolhendo artigos de bons preços e que me interessem.
Nos demais dias, vou ao shopping para colher flagrantes para a minha infindável coleção.
Já expliquei muitas vezes que poderão, no futuro, servir de análise sobre os tempos que vivemos, no século XX e início do século XXI, além dos que gostam de colecionar algo ou os que curtem arte em pequenos tamanhos e até os que curtem retratos rápidos...
Tenho percebido que os jovens de hoje não são muito diferentes dos anos anteriores em termos de moda. Eles são mais tradicionais ou esportivos, alguns curtem cortes de cabelos exóticos, como o corte do galo... o do tipo romano, o espanhol ou o argentino...
Raramente andam sós, sempre em duplas ou em grupos.
Um dia vi um jovem que lia, o que é raro entre eles. Eu colhi o flagrante e deve estar guardado provavelmente com a série de 2012.
Casais de namorados são mais numerosos entre os adolescentes, certamente pelo horário em que frequento o shopping. A novidade é o namoro entre jovens do mesmo sexo que está tão comum e que ninguém mais dá bola para o fato.
Mas, à tarde, os senhores e senhoras aposentadas curtem os cafezinhos, sós ou com um ou mais ex-colegas. Eles se divertem e riem muito, certamente contando aventuras de um tempo que se foi. Mas há aqueles que se insinuam e tentam uma aproximação com alguma mulher que esteja só, lançando olhares sedutores ou sorridentes...
Algumas coroas correspondem, outras, não, ficam ensimesmadas nas suas próprias circunstâncias.
Eu? Fico na minha, observando e colhendo flagrantes, talvez uma desculpa para curtir a tarde e saber que ainda sou interessante a alguns personagens Byronianos...


Texto Tenini

Voltar